ORDINARIAMENTE

Illustrated poster piece.

Illustration-Eca-Queiroz

“ORDINARIAMENTE todos os ministros são inteligentes, escrevem bem, discursam com cortesia e pura dicção, vão a faustosas inaugurações e são excelentes convivas. Porém, são nulos a resolver crises. Não têm a austeridade, nem a concepção nem o instinto político, nem a experiência que faz o ESTADISTA. É assim que há muito tempo em Portugal são regidos os destinos políticos. Política de acaso, política de compadrio, política de expediente. País governado ao acaso, governado por vaidades e por interesses, por especulação e por corrupção, por privilégio e influência de camarilha, será possível conservar a sua independência?”

Eça de Queiroz, 1867, in “O distrito de Évora”

“ORDINARILY all the ministers are intelligent, write well, speak with courtesy and pure diction, go to grand openings and are excellent guests. However, they are void to resolve crises. They do not have the austerity, nor the conception nor the political instinct, nor the experience that makes the STATESMAN. This is how long in Portugal political destinies are governed. Politics of chance, politics of companions, politics of office hours. Randomly governed country, ruled by vanities and interests, by speculation and corruption, by privilege and influence, will it be possible to preserve its independence?”

Eça de Queiroz, 1867, in “O distrito de Évora”